Mapeamos  toda
pra
voce.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




 
Compartilhar


Publicado em 26/07/2022


CRIANÇA INTERIOR, ACOLHA E CUIDE DA SUA



Presença constante, nosso lado infantil pede ajuda, pois ele está dentro de cada um. E quando se sente ameaçado, leva o adulto à reações incoerentes.

"Querida Loren, você é uma menina muito bonita, inteligente e cativante. Tenho orgulho por todo seu capricho e pelo seu zelo com as coisas que você gosta. Porém, eu quero aconselhar-te: sei o tanto de amor que você tem por suas canetinhas e lápis de cor, mas saiba que esse tesouro só tem valor pra você, não precisa impor aos outros gostar daquilo que você gosta. Acredite, você evitaria aborrecimentos e conflitos se entendesse que não precisa forçar suas vontades - sua necessidade de controlar tudo faz as pessoas se afastarem de você.

Sabe, Loren, tem outra coisa que eu preciso te falar. Essa sua mania de se achar superior aos outros te faz chata e metida, não há necessidade... nós gostamos de você pelo que você é, por ser tão bacana, solícita, espontânea... não precisa forçar, você passa por arrogante. Eu entendo que você usa essa armadura para disfarçar sua insegurança. Acredite mais em você, minha doce criança. O mundo é um lugar bom e muitas pessoas te ama. Loren, leva a vida com mais leveza, você está pesada.

Minha linda, eu sei que nossos pais tentaram compensá-la pela ausência deles na sua criação. E você acabou sendo mimada por eles. Mas, seus atos infantis de rebeldia e birras são horríveis, acredite. Loren, cria sua identidade, cria seu lugar no mundo sem precisar ser o centro dele. Seus relacionamentos seriam melhores e mais saudáveis se você não colocasse suas dores e seus medos como barreira nas relações. Chega disso, eu não aguento mais.

Loren, fica em paz com sua aparência. Para de se comparar nas redes sociais, respeita seu biotipo e vai ser feliz. Loren, acredite, se alguém te chamou de feia e você tomou essa fala como verdadeira, gostaria de te dizer que ela não é real. Saia desse autojulgamento que faz você ser infeliz.
Por último, Loren, eu quero dizer que te amo e te respeito, embora tenha momentos que é muito difícil conviver com você, minha Loren-sombra...

Muito amor,

Sua Lorenna adulta, que convive com você por toda uma vida e tenta te acalmar, dando-lhe amor..."
A carta acima é um exercício para reconhecer o que em sua vida adulta pertence à sua criança, que um dia, na infância, foi ferida e não conseguiu lidar com a dor do machucado, permanecendo dentro de você, para sempre. Você se torna um adulto, mas por vezes toma atitudes e têm comportamentos que remetem à sua criança, desesperada por colo e amparo.

Pegue uma foto sua quando criança, faça uma autoanálise do que está bloqueando sua felicidade e, através da escrita, jogue limpo com sua criança: reconheça suas falhas e medos e transmita ao mini você a segurança que ele perdeu.

Quando você está em paz com sua criança interior, você é um adulto mais leve, mais calmo e amoroso. Acredite, se conhecer é libertador.



Redação: Silvia Delforno



 


Portal Vila Mariana ® SP