Mapeamos  toda
pra
voce.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




 
Compartilhar


Publicado em 23/12/2021


MASSAGEM INDIANA DE FILOSOFIA TÂNTRICA

Houve um tempo em que não se dizimava o homem em partes, ele era um todo e seu corpo era cultuado como um templo sagrado, como uma via de acesso à consciência superior.

A massagem tântrica tem duração média de uma hora e o ideal é ser aplicada entre pessoas de sexo oposto, para existir a troca de polaridade. Sua essência é restabelecer o equilíbrio físico-espiritual do indivíduo, harmonizando os corpos energéticos, estimulando as defesas naturais do corpo em frente às doenças. Auxilia também nos distúrbios nervosos, perturbações mentais e emocionais e na  harmonização da sexualidade.

Além de ser uma massagem prazerosa, ela é feita para que a energia vital (kundalini) chegue ao coração (chakra anahata), provocando a expansão da consciência. Como resultado, o terapeuta colhe depoimentos do tipo “experiência fantástica”, “momento único”, “mãos de fada”, “saí da minha mente”. São expressões resultantes da expansão da consciência.

Kundalini

É uma palavra na língua sânscrita que significa “enrolada como uma cobra” ou “aquela que tem a forma de uma serpente”. A energia kundalini está presente em toda pessoa e representa a força criativa; não é visível, é uma entidade sutil em forma de luz. Daí vem a expressão “aquela pessoa tem uma luz muito forte”, ou “ele é iluminado”.

Nos homens a kundalini se localiza no períneo (entre o saco escrotal e o ânus) e nas mulheres, na base do útero.

A kundalini se manifesta envolvendo, disciplinadamente, exercícios respiratórios, práticas de yoga, alimentação saudável, boas músicas, bom sono e meditação.

Como toda força, a kundalini tem seu lado positivo e negativo. Quando bem aproveitada, a força desperta a criatividade, as virtudes e o autoconhecimento. Por isso a necessidade de escolher um terapeuta que conheça a filosofia tântrica. O despertar somado a ascensão da kundalini levam a um diferente nível de consciência espiritual.

Chakras

Palavra sânscrita de tradução “roda”, que denomina centros energéticos distribuídos pelo corpo, segundo as escrituras sagradas do hinduísmo. Tanto que os tais centros vivem em movimento e influenciam a saúde e o comportamento humano.

Os chakras mais importantes somam sete e se estendem ao longo da coluna vertebral:

Chakra básico (Muladhara) – apresentado na cor vermelha, tendo o elemento terra como conexão. Localizado na região do períneo. Responsável pela disposição, vitalidade e conexão com o mundo material. Quando desalinhado, causa falta de ânimo, alienação e excessivo apego ao mundo material. É o chakra da sobrevivência.

Chakra sacro (Svadhisthana) – apresentado na cor laranja, tendo o elemento água como conexão. Localizado na região pubiana. Responsável pelo sistema reprodutor, impulsos sexuais e criatividade. Quando bloqueado, a sexualidade fica deturpada e a criatividade, estagnada. Boas ideias começam por aí.

Chakra umbilical (Manipura) – apresentado na cor amarela, tendo o elemento fogo como conexão. Localizado na região do umbigo e relacionado ao sistema digestório, em especial com o pâncreas. Nele está a energia do poder pessoal, a comunicação entre mente e corpo físico. Por ser central, distribui energia por todo o corpo. Quando desalinhado, pode tornar o indivíduo narcisista, ou muito inseguro.

Chakra cardíaco (Anahata) – apresentado na cor verde, tendo o elemento ar como conexão. Localizado no meio do peito, na altura do coração, relacionado com a glândula timo e o sistema imunológico. Responsável por metabolizar a energia do amor. O poder pessoal de amar e ser amado é despertado nesse chakra. Quando desalinhado pode causar problemas emocionais, cardíacos ou imunológicos. O combustível para esse chakra é a alegria.

Chakra laríngeo (Vishudda) – apresentado na cor azul, tendo o elemento éter como conexão. Localizado na região da garganta, relacionado ao sistema endócrino, em especial a glândula da tireoide. Responsável pela comunicação, expressão e autoaceitação. Quando desalinhado, pode gerar dificuldade na comunicação, insegurança ou problemas na faringe, laringe e componentes da região. Em desalinho, a pessoa se torna retraída, insegura e vitimizada. O combustível para esse chakra é a verdade.

Chakra frontal (Ajna) – apresentado na cor azul índigo, tendo a luz como conexão. Localizado na parte superior do rosto, no meio das sobrancelhas. É responsável pelo sistema nervoso e se relaciona com a glândula pituitária, o terceiro olho. Em equilíbrio, gera concentração e raciocínio claro - a intuição desabrocha. Quando desalinhado, a pessoa cria mentiras, se induz ao vício e não tem clareza de pensamentos. Também pode vir a ter problemas de sono e visão. Esse chakra está também alinhado às artes e imaginação fértil. Seu combustível é a meditação e os bons pensamentos.

Chakra coronário (Sahasrara) – apresentado na cor violeta, tendo a consciência como conexão. Localizado no topo da cabeça, ativado pela glândula pineal. É o chakra da espiritualidade, sem dogmas. É entrada da conexão com o verdadeiro Eu, a transcendência das limitações. Quando desequilibrado, a pessoa sente solidão, perde a conexão espiritual e tende a ser cética. É a conexão com o sagrado. Seu combustível é o silêncio.

Um terapeuta capacitado saberá equilibrar esses chakras e ajudá-lo a uma vida mais plena.

Tantra na visão indiana

A massagem indiana na filosofia tântrica é criada a partir da interpretação dos antigos sábios (rishis), conectando corpo, mente e alma.

Embora pareça algo místico, não é. A terapia tântrica, através da massagem, é o início do autoconhecimento, com muita amorosidade.

Pesquise os terapeutas do site e tenha uma ótima experiência.


Redação: Silvia Delforno










Portal Vila Mariana ® SP