Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




Compartilhar


Publicado em 27/09/2013


TIMIDEZ

QUEM SENTE SOFRE



A timidez afeta pessoas de diversas idades, classes sociais e culturas. No perfil de pessoas tímidas podemos identificar uma ansiedade exacerbada, vergonha de si e dos outros, embaraço em todas ocasiões que envolvam exposições. Pessoas tímidas, imaginam o tempo todo que estão sendo observadas, que tudo que disserem será julgado como bobagem.

Situações que para alguns pode ser simples e corriqueira como trabalhos escolares, reuniões profissionais, ou mesmo familiares para quem sofre de timidez, causam extremo desconforto. Sempre acham que ir a algum evento social ou estar em grupo nunca será bom pois as pessoas não irão se aproximar.

As sensações de insegurança, sentimentos de inferioridade e inadequação estão sempre presentes no cotidiano de pessoas tímidas, principalmente se estão na presença de pessoas supostamente de nível social, financeiro ou hierárquico mais elevado.

São inúmeros os bloqueios que os tímidos precisam superar, as atividades do dia a dia não permitem que eles se excluam totalmente dos contextos que a vida propõe, porém pelas dificuldades de enfrentamento perdem oportunidades interessantes que são descartadas sempre que possível.

Muitos podem ser os fatores que podem gerar a timidez, cada pessoa tem um histórico em sua vida, famílias em desequilíbrio onde muitas ocorrem constantes discussões, pais dependentes de álcool ou outras substâncias químicas, pais superprotetores, muito severos ou exigentes, geram inseguranças e medos que são os fatores importantes no desenvolvimento da timidez. Podemos dessa forma enfatizar o quanto os pais e a família equilibrada podem fazer diferença na presença ou ausênca da timidez.

Desde a infância algumas crianças já apresentam traços de timidez, são retraídas na escola, ficam isoladas nas brincadeiras, não participam de grupos de maneira geral, por mais inteligentes que sejam aos olhos dos outros não acreditam no seu potencial, muitas são vítimas de bullying por serem diferentes de todos o que agrava ainda mais a dificuldade já instalada.

Muitas vezes a timidez manifesta-se na adolescência onde ocorrem muitas transformações físicas e emocionais, a necessidades de auto afirmação estão mais presentes, os jovens se sentem cobrados a pertencerem as tribos e os que não correspondem passam a ser ridicularizados que é o caso dos tímidos.

As mudanças rápidas que ocorrem no crescimento dos adolescentes produzem uma distorção na sua auto imagem, em partes do seu corpo ou em sua totalidade, muitos se envergonham e se intimidam por se sentirem observados o tempo todo, mudanças de voz no menino, transformações do corpo da menina são exemplos que geram desconfortos e inseguranças que reforçam o surgimento da timidez.

A timidez pode se manifestar de maneira crônica, desencadeada todas as vezes que qualquer atividade exija o convívio social, ou situacional como falar em público num momento específico, estar diante de alguém hierarquicamente superior, chefes, professores ou numa entrevista de trabalho. Surgem uma série de sintomas causando ainda mais aflições: ruborização (rosto vermelho), palidez, tremor, taquicardia, sudorese excessiva, mãos geladas e até fortes sensações de desmaio.

O tímido sente-se solitário, humilhado, desprezado, não consegue se aproximar das pessoas, sofre pelos dissabores das dificuldades nos relacionamentos em geral, por sentir que não é aceito, por não corresponder as próprias expectativas e dos outros.

Profissionais que atuam diretamente com pessoas também deveriam ser preparados para lidar com o aspecto da timidez, alguns mesmo estando em áreas como ensino acabam não percebendo a verdadeira dificuldade do aluno tímido que tem falhas na aprendizagem por não conseguir se integrar aos colegas, essa barreira pode desenvolver no jovem uma grande aversão pela frequência na escola podendo causar frequentes somatizações como fortes gripes e resfriados, estados febris constantes, erupções de pele dentre outras.

Muitos profissionais da área de saúde também não exploram essa questão, muitos pacientes tímidos adoecem por não conseguirem enfrentar seu próprio cotidiano, se retraem cada vez mais podendo desenvolver patologias mais profundas.

Então o que fazer para conseguir vencer a timidez? Tentar conhecer as fragilidades, procurar ajuda profissional, sentir-se amparado para poder compreender pode ser um bom começo.

Avaliar o grau de timidez que existe bloqueando sua vida, pensar em quantas oportunidades foram ou estão sendo perdidas, podem ser uma alerta para mudar o caminho.

Pensem nisso! Vamos interagir! Enviem comentários e/ou sugestões.


Grande abraço!


Claudete J. Silva Colunista de Saúde e Comportamento
Psicóloga Especialista em Clínica e Psicossomática
Tels: (11) 5583 3374 | (11) 99626-4832



Compartilhar




Portal Vila Mariana ® SP