Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




 
Compartilhar

Publicado em 22/11/2019


RELAÇÕES ABUSIVAS

Hoje trago para reflexão um tema que tem sido foco de atenção: As relações abusivas, uma relação abusiva pode não estar sendo percebida por quem vive, mas traz inúmeros danos, podendo levar a graves consequências, emocionais e físicas.

Relações abusivas podem ser encontradas em vários contextos da vida: no ambiente familiar, corporativo, na relação conjugal, relações de amizade, até entre pais e filhos. As relações abusivas são maléficas, trazem um desconforto e um sofrimento contínuo, tirando do outro a individualidade, a sensatez. A relação é permeada pela destrutividade, agressividade, possessividade, ciúme, desconfiança de tudo e de todos. Quem vive essa relação, se sente acuado, intimidado, em permanente estado de alerta.
 
Quem domina uma relação abusiva, costuma sugar a energia de quem convive, são pessoas negativas, agressivas, críticas. Se exaltam com facilidade, agem tanto por impulsividade, como com intenções premeditadas.
 
Sem dúvida, quem provoca  uma relação abusiva, também precisa de ajuda, pois esse comportamento traduz uma forma desequilibrada de encarar a vida. Muitas pessoas se envolvem e tem muita dificuldade em sair de uma relação tão comprometida. A relação abusiva, é aceita por alguém que é  frágil, submisso com baixa autoestima, sem amor próprio, manipulável, e que sempre acaba cedendo às vontades do outro, não consegue dizer não. Alguns perfis, inconscientemente buscam uma relação abusiva, pois são inseguras, se desvalorizam, não acreditam em si, possuem uma grande dependência emocional, por isso torna tão difícil a decisão de se afastar.

A pessoa que domina a relação abusiva, sempre reclama das circunstâncias, deprecia, desvaloriza com quem convive, em alguns casos, acontece um posterior sentimento de culpa do agressor, uma compensação, que vai desde um pedido de desculpas até presentes de todas espécies para agradar, o outro cede e tudo recomeça, e pode permanecer assim anos a fio.

Muitas pessoas, também exercem outros papéis, em diferentes contextos, camuflam e se fecham, tentando não aparentar o mal estar. Sua produtividade profissional torna-se baixa, muitas vezes pode ocorrer até a perda do emprego, o que pode agravar ainda mais o estado de fragilidade emocional.

O afastamento de atividades sociais, amigos e familiares, em muitas vezes podem ser alternativas para que não fique perceptível que algo não vai bem, a interferência de terceiros passa a ser mais um conflito insuportável de lidar. Podem ocorrer somatizações, pois a pressão emocional e estresse contínuo transferem para órgãos e partes do corpo, algo que a mente não consegue lidar, como consequência, surgem inúmeras doenças de maneira  gradativa podendo se agravar.

Existem pessoas, que saem de uma relação abusiva com muita dificuldade, mas sem se darem conta, podem se aproximar e se se relacionar com alguém, com as mesmas características, por isso é importante a compreensão dos motivos que a relação acontece.

Perceber o que está ocorrendo, e os malefícios que uma relação abusiva possa estar trazendo, é muito importante, mas não suficiente, é necessário cuidar da causa, os motivos que se mantém uma relação, mesmo sendo prejudicial.

As pessoas tendem a esquecer, que na relação abusiva, ambas pessoas precisam de ajuda, necessitam de fato, entender que o que vivem, é uma relação doentia, que deve ser tratada. Nem sempre essa conscientização ocorre, geralmente a parte que se submete, muitas vezes fantasia que o outro poderá mudar.
 
Muitos criam uma dependência emocional, financeira, outros desconhecem completamente questões graves que possam estar acontecendo, ocorrem situações de humilhação e constrangimentos permanentes.

Uma relação abusiva, deprecia, estressa, reforça desequilíbrios das partes envolvidas, traz ameaças e consequentemente medos, angústias e sentimentos negativos que podem ter início de maneira sedutora, envolvente e aos poucos se transformar em agressões emocionais, verbais e até físicas.

A pessoa abusada nas relações, pode desenvolver medo, pânico, sensações de solidão, sentimentos de culpa e esgotamento emocional que podem levar a depressão. Os envolvidos diretamente, ou qualquer outra pessoa que presencia relações abusivas, são igualmente afetados e também necessitam ser tratados.

Buscar ajuda profissional  traz a possibilidade de compartilhar e refletir sobre essa vivência tão complexa. É necessário fazer um resgate de todos os aspectos que ficaram sufocados, as emoções vividas, devem ser compreendidas e resignificadas. Procurar novas perspectivas dentro e fora de si, buscando uma merecida e importante qualidade de vida.



Sugestões e ou dúvidas, fico à disposição!

Abraço!
 

Claudete J. Silva Colunista de Saúde e Comportamento
Psicóloga Especialista em Clínica e Psicossomática
Tels: (11) 5594-2639 | WhatsApp: (11) 99626-4832
e-mail: claupsi.js@gmail.com



Compartilhar







Portal Vila Mariana ® SP