Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




Compartilhar

Publicado em 18/04/2018


MELANCOLIA

UM SENTIMENTO QUE CONSOME

Hoje, abordarei um tema que confunde muitas pessoas: a melancolia, um sentimento que traz à tona uma tristeza permanente, profunda, muito comumente confundida com a depressão, pois ambas possuem aspectos semelhantes. A melancolia se trata de uma depressão em estágio avançado.

O melancólico, sente a vida sem graça, sem prazer em nenhum aspecto, a negatividade dos pensamentos, está presente continuamente, a pessoa melancólica sente-se inútil, tem dificuldade de concentração, perda de apetite, ansiedade, insônia, perda de peso, sentimentos de fracasso, de culpa.

As causas que fazem a melancolia se instalar, são diversas, a permanência nesse estado de tristeza é que vai determinar se é um quadro melancólico e sem dúvida precisará de apoio profissional, a psicoterapia é um recurso importante, dependendo do caso pode haver necessidade também de um acompanhamento multidisciplinar e medicamentoso.

Na melancolia, o desinteresse pela vida em geral é permanente, a vida social torna-se um fardo, a conjugal e familiar ficam restritas, podendo causar desavenças, discussões e até separações. Muitos parceiros, e familiares não conseguem compreender que o melancólico deve ser apoiado, tratado e jamais criticado.

As pessoas melancólicas são vistas, com rótulos, estereótipos, um deles muito comum é serem reconhecidos como preguiçosos, acomodados, quando na realidade toda a vontade de realizar qualquer mínima ação, está consideravelmente comprometida.

A melancolia se assemelha ao processo de luto que é importante e necessário, mas não pode ser permanente pois se transformará em melancolia. O luto por sua vez não abrange somente perda de um ente querido e sim perdas referentes a diversas situações.

É importante perceber, a diferença entre ser e estar melancólico. O estar é por momentos quando se passa por uma situação específica que causa tristeza, ou se resgata situações do passado através de lembranças, nesse caso, a melancolia acontece, mas em um tempo curto, pois existe a compreensão que o momento foi uma fase, e que a vida deve seguir seu rumo.

O melancólico, sente vazio e tristeza permanente, uma dificuldade imensa de resgatar qualquer situação que tenha sido satisfatória, seu pensamento, é direcionado sempre para algo ou alguém que não poderá trazer de volta, esse sentimento de impotência, traz frustração e a melancolia que parece não ter fim.

O melancólico, tem dificuldade de aceitar o presente, sempre acha que o passado foi o único e melhor momento da sua vida. As permanentes lembranças de perda são um apego para o melancólico, como se só houvesse esse recurso que o ligasse a vida.

Pessoas com mais idade, com problemas de saúde, internadas por um longo tempo, solitárias física e emocionalmente, pessoas deprimidas, com transtorno bipolar, e outros, ou que usem substâncias químicas, álcool, também tendem a se tornar melancólicas.

A melancolia é uma dor, que só quem sente pode dimensionar, por baixo da apatia permanente, tem alguém que necessariamente precisa de ajuda. A melancolia traz à tona uma enorme carência afetiva, sensações de desamparo e fragilidade.

Os familiares, amigos, exercem um papel fundamental na vida do melancólico, são necessárias ações, esclarecer dúvidas e entender o melhor o caminho para dar suporte, é primordial dar carinho e atenção. Pessoas que vivem sozinhas, a exigência é ainda maior, pois a grande maioria por não ter com quem compartilhar, se deixam levar pela melancolia podendo agravar ainda mais a situação.

O fato de cada pessoa ter seu momento, não significa que se deva esperar por tempo indeterminado para procurar ajuda, muitas vezes quem está de fora, poderá ser uma ponte para que o tratamento aconteça, pois, a qualidade de vida de quem sofre desse mal, fica seriamente limitada.

O comprometimento que a melancolia traz para vida é drástico, ocorrem muitas mudanças negativas, podem acontecer doenças crônicas e seus agravamentos, o que tornam um círculo vicioso, trazendo para o melancólico um acúmulo de situações ainda mais difíceis.

O importante é a conscientização, a reflexão que a melancolia pode e deve ser tratada, o melancólico vê a vida sem colorido, cinzenta como um dia nebuloso, mas assim como existem nuvens que se dissipam e dão espaço para o sol, pode-se buscar o caminho para a transformação.



Boas reflexões!

Fico a disposição para dúvidas ou maiores esclarecimentos.

Forte abraço!

Claudete J. Silva Colunista de Saúde e Comportamento
Psicóloga Especialista em Clínica e Psicossomática
Tels: (11) 5583 3374 | WhatsApp: (11) 99626-4832
e-mail: claupsi.js@gmail.com



Compartilhar





Portal Vila Mariana ® SP