Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




 
Compartilhar


Publicado em 01/04/2015


INSEGURANÇA

Hoje trarei para reflexão um tema sempre presente no cotidiano: a insegurança, um sentimento que pode se confundir com medo e desencadear sensações; cujo resultado é comprometedor, angustiante e paralisante para quem sente.

Para entender melhor a insegurança, podemos citar vários contextos do cotidiano em que ela sorrateiramente está presente, inibindo decisões e atitudes importantes. Pessoas inseguras estão nos mais diversos níveis sociais e econômicos.

A insegurança se faz presente na vida familiar, profissional, acadêmica, social, amorosa. Situações e exposição como falar em público ou fazer entrevista para um trabalho, causam extrema ansiedade e fazem emergir pensamentos negativos, mesclados de sensações de medo de não dar conta da situação.

Uma pessoa insegura duvida o tempo inteiro de suas capacidades. Desconfia de si e dos outros a sua volta. Quando convive com grupos, imagina que o tempo inteiro possa estar sendo observada, criticada e por esse motivo, é comum emergir o sentimento de estar inadequado nos ambientes que necessariamente tem que frequentar.

A insegurança pode se instalar desde o período da infância iniciando por pais que ficam o tempo inteiro preocupados em proteger, não permitindo que a criança sinta e ultrapasse algumas dificuldades pertinentes a idade. Muitos se colocam de forma ameaçadora, causando medo e fazendo ameaças em relação ao perigo.

Claro que proteger, orientar e esclarecer a criança em seu desenvolvimento é natural e necessário. O que difere exatamente é a forma que é passada a informação. Pais tranquilos oferecem aos filhos a possibilidade de experimentar, dando os devidos limites, reforçando, elogiando, encorajando cada obstáculo superado.

Ser inseguro é um fator impeditivo para projetos e mudanças. Essa condição, muitas vezes faz com que a pessoa camufle situações para não parecer insegura diante de familiares, chefes, professores, companheiros, evitando situações que possam deixa-lo exposto. Porém, nem sempre isso é possível e o enfrentamento se faz necessário, gerando extremo desconforto, físico e emocional.

O adiamento, a postergação de decisões é uma constante na vida de pessoas indecisas. Esse recurso é uma forma de não enfrentar aquilo que se acredita não ser capaz de realizar. Surgem sentimentos de permanente frustração e uma forte sensação de derrota.

Um fato que pode surpreender, é que algumas pessoas inseguras tornam-se agressivas para se proteger, como se quisessem ocultar o fato de ser inseguro e quisessem demonstrar o oposto com afrontas e uma aparente coragem.

Outra característica importante que deve ser observada em pessoas inseguras, é o medo de julgamentos e críticas. Fantasiam que poderiam ser julgados severa e negativamente em seus comportamentos ou colocações.

Sentimentos negativos autoestima baixa, excesso de preocupação com a opinião de outras pessoas estão sempre presentes nas características de quem é inseguro. Outro fator que pode ser observado é o grau de isolamento, impondo condições que se transformam a vida cotidiana, gerando ainda mais inseguranças.

entir insegurança é natural diante de tantas decisões que se tem que tomar diante da vida. Muitas vezes é necessário colocar na balança, prós e contras, custos e benefícios. O que se torna uma questão patológica é sentir insegurança o tempo inteiro, não acreditando em seu próprio potencial, sentindo-se inferiorizado, sem perspectivas de transformação.

No intuito de se proteger, o inseguro deixa a vida passar e decidir por ele, sem optar por um caminho de desafios. Mesmo sofrendo acaba não saindo da zona de aparente conforto, por receio de arriscar e errar.

Estar conivente com a paralisação da vida, seria o mesmo que ganhar um presente e não usar, guardar por medo de quebrar ou estragar. A insegurança rouba a possibilidade de ter paz interior, construir uma vida, se permitir evoluir.

Buscar autoconhecimento através de ajuda profissional, querer profundamente uma transformação, ter paciência e persistência são fatores primordiais para que ocorram mudanças.

Pense nisso! Desperte o potencial que existe em você, mergulhe nas ondas de novas possibilidades e decisões, cresça e amadureça.

Enviem dúvidas ou sugestões de novos temas a serem abordados.


Forte Abraço!


Claudete J. Silva Colunista de Saúde e Comportamento
Psicóloga Especialista em Clínica e Psicossomática
Tels: (11) 5583 3374 | (11) 99626-4832




Compartilhar





Portal Vila Mariana ® SP