Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 





Compartilhar


Publicado em 26/06/2014


ENVELHECER, ENTENDER, ACEITAR


Olá, hoje vou abordar mais um assunto presente em nossas vidas: o envelhecer. Nascer, viver, envelhecer e morrer são etapas naturais na sequência da vida. Mas por que será que as duas últimas causam tanto impacto e vontade de se distanciar?

Na nossa cultura costuma-se associar o envelhecer à paralisação de atividades profissionais, pessoais e em alguns casos até de relacionamentos amorosos. Felizmente, cada vez mais, esses conceitos estão caindo por terra, pois os avanços da medicina estão proporcionando cada vez mais o aumento da longevidade. Atualmente para muitas pessoas, pode significar novas oportunidades associadas ao prazer.

Há algum tempo atrás era comum ter como referência um conformismo com o envelhecer, associado as doenças e baixa qualidade de vida. Costumava-se dizer que era assim mesmo, que agora era esperar a morte chegar e que nada poderia ser feito para modificar esse padrão.

Iremos nesse momento nos direcionar e pensar: como ficam as emoções nessa sequência de fatos que vão aos poucos transformando perspectivas e projetos de vida? O aparecimento das marcas no rosto, no corpo, na pele em geral, costuma ser uma constatação que o tempo esta passando. Para alguns, esse fato faz parte da vida, para outros torna-se um fardo pesado demais para ser carregado.

Sentimentos como solidão, impotência e baixa autoestima surgem paralelamente com as marcas do tempo - podendo ocorrer a depressão leve, moderada ou progredir para a grave, caso não seja cuidada e acompanhada.

O correto seria fazer um trabalho preventivo em todos os aspectos desde a infância, visando em todo decorrer da vida, o cultivo de hábitos saudáveis. A procura do equilíbrio emocional e físico seria de grande importância, para ir-se aos poucos aceitando a ideia que envelhecimento é um fator natural da vida. Quando se está no auge da juventude, não costuma-se pensar que nosso organismo sofre um processo de amadurecimento e envelhecimento todos os dias.

O geriatra deveria ser consultado não somente nos processos de avanços do envelhecimento. Ele irá tanto orientar na prevenção de um envelhecimento saudável, como colaborar com a reorganização de vários aspectos que poderão dar melhor qualidade de vida, mesmo com o avançar da idade.

Um fato muito corriqueiro e que diz respeito a princípio nas mulheres, são as mudanças hormonais que requerem cuidados especiais, trazendo grandes mudanças e acontecem paralelamente com os processos do envelhecimento. Para algumas mulheres são aspectos difíceis de ultrapassar, pois dura um tempo indeterminado e diferente para cada mulher, as emoções ficam exacerbadas, a sensibilidade geralmente é incompreendida por quem está ao redor: familiares, superiores no aspecto profissional, amigos.

Uma pesquisa e tratamento com múltiplos profissionais - psicólogos, endócrinos, ginecologistas - podem ser grandes aliados para se ter uma avaliação mais concreta e quais os caminhos a seguir. Cada caso deve ser tratado individualmente sem generalizações, pois a reação de cada pessoa a um mesmo estímulo ou situação pode gerar respostas diferenciadas.

Evidentemente que os homens também passam por inúmeros processos que podem causar reações emocionais e físicas no decorrer do envelhecimento, apesar que de forma mais amena. O universo masculino, de forma imposta pela educação e conceitos ao longo do tempo, faz com que muitos homens ainda contenham, disfarcem ou omitam seus sentimentos mais profundos. Por esse motivo, a impressão que se tem é que os homens sofrem muito menos com o envelhecer em si. Contudo, esse fator pode variar de acordo com a vivência de cada um.


A aposentadoria é um fator importante que ocorre na vida de ambos os sexos, pois também traz sensações e emoções antes não experenciadas; o fato de paralisar as atividades profissionais pode trazer sensação de impotência, inutilidade, perda e um grande vazio.

Muitos casais que formaram família se sentem solitários e entristecidos quando os filhos se casam e formam suas famílias, como se não mais soubessem dar rumo à nova vida de casal. Deixam de sair e frequentar eventos sociais, alguns adoecem e passam a se sentir envergonhados pelas suas condições de dependência.

A chegada dos netos pode ser um fator estimulante, mas com o passar do tempo eles crescem e já não são mais o foco de cuidados dos avós. O mundo gira, os sentimentos entram em ebulição. O envelhecer de maneira não sábia pode gerar um grande conflito consigo e com o mundo em geral, nada parece ter graça, pensamentos negativos povoam as cabeças que parecem não ter mais nada o que fazer.

Outro fator muito presente na questão do envelhecer, é o fato das opções sem moderação de cirurgias plásticas. Inegavelmente elas poderão fazer diferença para alguém que vê no fator rejuvenescimento uma forma de sentir-se melhor consigo e o mundo.

Cabe relembrar que toda opção de cirurgia plástica estética requer um acompanhamento profissional no aspecto emocional e físico. Sabemos que muitas pessoas acabam tomando decisões precoces e exageradas, tendo arrependimentos e criando situações irreversíveis.

Transformar o físico e apagar marcas do corpo nem sempre irá trazer o prazer esperado, pois os conflitos podem estar muito além da aparência. Cabe então à busca de ajuda para se refletir como está o equilíbrio do corpo e da mente.



Podemos refletir sobre algumas medidas que poderão amenizar o fato de saber envelhecer com dignidade e amor próprio elevado:
  • Procurar ajuda profissional para expressar seus sentimentos e dificuldades.
  • Buscar o autoconhecimento para saber seus limites e potencialidades.
  • Buscar um novo trabalho, novos desafios.
  • Desenvolver atividades ligadas a criatividade.
  • Pensar em preencher o tempo livre com atividades que sejam agradáveis.
  • Fazer um trabalho voluntário.
  • Praticar exercícios físicos regularmente.
  • Frequentar grupos e comunidades que tenham interesses em comum.
  • Pesquisar a possibilidade de cursos breves e palestras com temas de interesse.
  • Conhecer novas pessoas.
  • Conviver com animais.
  • Estimular o bom humor.
  • Ler livros.
  • Viajar para locais não conhecidos.
  • Exercitar sempre as atividades cerebrais, aprendendo jogos, funções no computador e outras.


Enfim dentro dos limites de cada um vamos valorizar a importância de se cuidar e pensar que o envelhecimento pode trazer novos desafios e vitórias. Aceitar e entender o envelhecimento é um privilégio, um grande passo para viver melhor, afinal a vida não precisa se apagar. Muito pelo contrário, pode adquirir um novo colorido e expressar uma criatividade que nem se imaginava possuir. Estar mais velho pode ter muitos significados positivos e não somente o lado obscuro do adoecer, envelhecer se entristecer e consequentemente morrer.


Vamos interagir, fico a disposição para dúvidas e /ou sugestões.

Até a próxima, forte abraço!



Claudete J. Silva Colunista de Saúde e Comportamento
Psicóloga Especialista em Clínica e Psicossomática
Tels: (11) 5583 3374 | (11) 99626-4832
e-mail: claupsi.js@gmail.com



Compartilhar






Portal Vila Mariana ® SP