Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




Compartilhar


Publicado em 30/01/2014

AUTOCONFIANÇA

VOCÊ TEM?



Hoje iniciaremos uma nova jornada, um novo ano, novos desejos, novas expectativas. Aqui no nosso espaço, continuaremos a percorrer novas possibilidades de reflexão, algo saudável e benéfico que na correria do dia a dia não costumamos exercitar.
Então fica o convite: embarquem nessa viagem sem ter tempo para voltar, que tal começar? Ou recomeçar para quem já iniciou esse interessante caminho?

Nosso foco nesse momento diz respeito a autoconfiança, ou seja o confiar e investir em si e em suas possibilidades de superação e ação, o sair da zona de conforto, o enfrentar, o entender o que se pode fazer para isso acontecer são os primeiros passos.

Para que as pessoas tenham a confiança de outros é necessário confiar em si mesmo, sentir-se seguro diante das propostas que a vida oferece. Quem possui autoconfiança deixa claro sua postura sempre determinada e sensata, nunca arrogante.

Uma questão importante para ser compreendida é que o contrário da autoconfiança, a insegurança, um dos sentimentos mais presentes quando se pensa em maneiras de comportamento humano. A insegurança é a inimiga mortal da autoconfiança.

Desde o início da educação os pais devem monitorar também seu próprio comportamento na educação e desenvolvimento do filho, pais exageradamente preocupados, super protetores promovem bem cedo uma atitude de insegurança no filho, esse sentimento, pode ir se ampliando, se repetindo de forma marcante na vida adulta.

O mesmo nível de insegurança pode se dar com pais ausentes que não participam da educação, das brincadeiras, nem de qualquer iniciativa que a criança tenha para criar e interagir. Dessa forma vão se instalando comportamentos de inibição, inadequação, medos e falta de confiança em si e em que está em volta.

Estar inseguro é não compartilhar da ideia que se é capaz, é por limites e estabelecer universos que não crescem, nem saem do mesmo lugar, é fechar os olhos para novas oportunidades, é não sair da zona de conforto e experimentar.

Podemos citar alguns dos muitos episódios onde a insegurança está presente: nas relações com o sexo oposto, quando se pensa o tempo inteiro que poderá ser substituído por outro, nas relações profissionais onde não se acredita ter capacidade de assumir tarefas desafiadoras, partir para um novo emprego ou arriscar ter seu negócio próprio.

No aspecto social consiste em ficar o tempo inteiro fazendo comparações com pessoas supostamente superiores, enfim sempre o resultado é se sentir inferiorizado, sem condições de superar obstáculos.

Pessoas com alto grau de insegurança costumam se proteger diante de suas dificuldades, algumas se tornam agressivas, outras se desfazem ou desvalorizam algo ou alguém por sentirem-se incapazes de ser bem sucedidas. Camuflar a insegurança não dando espaço para o exercício da autoconfiança é uma forma de não enfrentar a dificuldade para transformar e mudar, dessa forma os medos decidem a estagnação da sua própria vida.

Devemos lembrar que a autoconfiança está intimamente ligada a autoestima (falarei mais detalhadamente em outra oportunidade) que diz respeito a como cada um se vê diante do espelho da vida, a autoestima traz automaticamente a conquista da autoconfiança, que por sua vez exige a segurança em suas ações e atitudes, é se enxergar como um vencedor.

Existem pessoas que desconfiam de tudo e de todos, se sentem perseguidas o tempo inteiro, passada para trás, injustiçadas e vítimas de uma situação infinita. Interessante perceber que são perfis que não desenvolveram a confiança em si e obviamente nos outros.

Que tal fazermos uma nova proposta nesse novo ano que inicia?

Acreditar em si, seus passos, suas atitudes e ações? Não existem receitas prontas, cada um tem um caminho a seguir para adquirir auto confiança e satisfação, mas alguns procedimentos podem ser adotados para reflexão:

Relacione tudo o que gostaria de conquistar e mantenha o foco.
Comece a traçar objetivos com pequenas metas de cada vez.
Valorize cada conquista e se sinta capacitado a realizar outras.
Evite o perfeccionismo e exigências exageradas que não possa cumprir.
Observe e valorize suas atitudes positivas.

A autoconfiança deve ser exercitada a cada dia, tomar decisões envolve correr riscos, algumas ações poderão não ser bem sucedidas no início, isso não poderá se empecilho para dar continuidade a essa ou as novas conquistas, afinal os grandes gênios erraram e tentaram muitas vezes até serem bem sucedidos em suas pesquisas ou grandes invenções.

Fica então a mensagem, siga em frente e prepare cuidadosamente o terreno da sua mente para semear novos e produtivos projetos, entre eles reserve um espaço para a autoconfiança, invista em você, nas suas potencialidades, se preciso busque ajuda profissional, não desista, abra novas portas, siga em frente.

Fico a disposição para esclarecer dúvidas, e desejo mais uma vez um ano com muitas possibilidades, vitórias e reflexões.

Forte abraço!

Claudete J. Silva Colunista de Saúde e Comportamento
Psicóloga Especialista em Clínica e Psicossomática
Tels: (11) 5583 3374 | (11) 99626-4832



Compartilhar




Portal Vila Mariana ® SP