Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




Compartilhar


Publicado em 26/02/2015


ANOREXIA E BULIMIA:

SINTOMAS E TRATAMENTO

Hoje nossa reflexão irá abordar um tema muito presente e que merece alerta constante. Anorexia e bulimia, ambos considerados distúrbios alimentares. São mais encontrados no sexo feminino, em adolescentes. Atinge diversos níveis sociais e culturais, mas podem ser observados altos índices em pessoas com condições sócio culturais mais elevadas.

As principais características desse transtorno estão ligadas a um desequilíbrio nas emoções e variam de acordo com cada histórico particular. Consiste numa busca constante de uma imagem corporal ideal, uma fixação pelo emagrecimento no caso da anorexia e controle de peso na bulimia.

Embora ambas possuam alguns aspectos comuns por se centralizarem na forma como visualizam seu corpo, existem características peculiares em cada uma.

Na anorexia, a pessoa quer diminuir o peso, recusa-se a comer, alegando não ter apetite de forma alguma. O que pode ocorrer é que por conta da alimentação se tornar cada vez mais escassa, o organismo vai se adaptando, vai ocorrendo uma acentuada perda de apetite, podendo chegar a inanição e a quadros irreversíveis, inclusive o óbito.

Na bulimia, ocorrem episódios de compulsão alimentar, ou seja, um excesso na ingestão de alimentos seguidas de vômitos. Existe necessidade por parte de quem sofre desse mal, usar laxantes, diuréticos e outros medicamentos em jejum. Outra característica muito presente é o exercício físico em excesso.

A alimentação excessiva ocorre de maneira escondida, sem se importar quais alimentos ingerir, o foco está em comer de maneira voraz, em seguida ocorrem sensações desagradáveis e uma necessidade de eliminar o que foi ingerido e causou tanto desconforto. O vômito passa a ser uma forma de alivio. Aqui a intenção é manter o peso, não necessariamente emagrecer como o caso de quem sofre pela anorexia.

Tanto na anorexia quanto na bulimia, ocorrem perdas nutricionais importantes para o organismo e causam um extremo sofrimento emocional. São comportamentos mantidos escondidos e a frequência das ocorrências, variam de pessoa para pessoa. Na grande maioria das vezes, ocorre uma considerável demora na percepção da família, o que pode agravar de forma considerável o quadro.

O bulímico também pode beirar a morte ou mesmo vir a óbito, dependendo da frequência com que pratica o hábito de vomitar.

As causas emocionais que são mais presentes tanto nas pessoas que apresentam a bulimia quanto a anorexia, podem ser diferentes para cada pessoa, mas na grande maioria prevalecem questões como: perdas bruscas de entes queridos, separação de pais, mudanças de estilos de vida, país, conflitos familiares severos, entre outras.

O fato dos portadores desses distúrbios conviverem em constante insatisfação consigo mesmo, com seu corpo, gera grande frustração. Fato esse, que pode agravar e manter o quadro por tempo indefinido, caso não se busque ajuda profissional urgente.

Dentre os sintomas podem surgir adição ao álcool e outras substâncias químicas, suspensão do ciclo menstrual e infertilidade nas mulheres, fadiga, dores abdominais, queda de cabelos e outros.

No aspecto emocional, ansiedade exacerbada acrescida de grande impulsividade, perfeccionismo, baixa autoestima, desânimo, tristeza, em consequência podendo ocorrer também um baixo desempenho escolar e de atividades que anteriormente estariam sendo prazerosas.

Os portadores tanto da anorexia e bulimia, nem sempre são compreendidos, sendo julgados como desinteressados ou preguiçosos.

Cabe inicialmente aos familiares um estado de alerta. Alguns indícios podem chamar atenção como adolescentes que iniciam dietas desnecessárias, demonstram insatisfação com seu corpo ou parte dele, possuem autocritica o tempo inteiro, irritabilidade, isolamento.

Muitos pais no inicio dos quadros confundem alguns sintomas com o desenvolvimento da adolescência e suas transformações. A observação, apoio e acompanhamento é de grande importância, para que não ocorra o progresso dos sintomas que podem culminar em questões mais graves.

É imprescindível consultar profissionais competentes, para obter-se um tratamento eficaz e ter um acompanhamento multidisciplinar, pois o portador nessas circunstâncias encontra-se em fragilidade emocional, física e nutricional.

Tanto a bulimia quanto a anorexia são doenças crônicas, dependendo de sua gravidade podem até exigir internação para acompanhamento mais profundo, pois pode ocorrer recaídas. Todo o processo exige muita atenção e pode perdurar por um tempo indeterminado até a recuperação.

A apatia, o desinteresse e as dificuldades inerentes ao quadro em geral, podem afastar os portadores desses distúrbios de suas atividades de rotina. Ter suas  atividades suspensas, torna-se necessário em casos mais drásticos, sendo importante para o foco na recuperação.

Aqui, fiz uma sucinta exposição, no sentido de alertar pais, familiares, amigos e todos aqueles que possam conviver com pessoas com essas características e que precisam de apoio e atenção. Fico a disposição para esclarecer um pouco mais.


Grande Abraço.


Claudete J. Silva Colunista de Saúde e Comportamento
Psicóloga Especialista em Clínica e Psicossomática
Tels: (11) 5583 3374 | (11) 99626-4832




Compartilhar






Portal Vila Mariana ® SP