Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




Compartilhar

Publicado em 15/09/2016

A IMPORTÂNCIA DO AFETO

Existem pais, que desenvolvem pelo filho um afeto expressivo, mesmo antes de sua chegada, e se tornam interativos e participativos em todo decorrer de sua vida.

Outros, que não desejam um filho, tornam-se aversivos e agressivos ao bebê, inviabilizando a possibilidade de dar afeto. As figuras maternas e paternas, quando trazem em seu histórico a falta do afeto, não conseguem dar algo que não tenham recebido.

Ao visualizarmos o semblante de um bebê e seu comportamento desde o seu nascimento e desenvolvimento, podemos observar diferenças daqueles que tem afeto ao não.

Com o decorrer do tempo, a expressão de afeto poderá ser observada entre a interação de crianças, na mais tenra idade, a forma como interagem, brincam, dividem os brinquedos dentre outros comportamentos.

Muitas crianças adotadas em diferentes faixas etárias, geralmente trazem uma vida afetiva empobrecida e carente, muitos possuem um comportamento de angústia e entristecimento, mesmo se os pais adotivos tentarem compensar a afeto que possa lhes ter faltado.

Outras crianças, que vivem uma situação de agressividade verbal ou física entre seus pais, ou no ambiente familiar, apresentam comportamentos de birra, agressividade, dificuldade de interação com outras da mesma faixa etária, com professores e todos ao seu redor. O que será que faz diferença no caminho do desenvolvimento até a vida adulta?


A afetividade, é determinante em todo o decorrer da vida, promove o comportamento introvertido, extrovertido, autoconfiança, autoestima tanto baixa como elevada. Estar com a afetividade em equilíbrio, corresponde a perceber o mundo de maneira positiva, trazendo sentimentos que trarão decisões seguras e amadurecidas.

Os sentimentos que surgem dentro do interior de cada pessoa, emergem a partir da carga de afeto.  Algumas, experimentam sentimentos negativos como medo, raiva, mágoa, angústia, enquanto outras podem ter sentimentos positivos e benéficos para sí e para todos quem se relacionam.

Qualquer experiência vivida, produz níveis afetivos mais ou menos significativos, relações de afeto são estabelecidas em todo decorrer da vida, a qualidade dessas relações irá depender do nível de afeto que cada um recebeu e aprendeu a dar.

Estado de humor elevado ou rebaixado, também estão intimamente ligados, a estados afetivos e podem desencadear inúmeros desequilíbrios emocionais, que se não forem observados e cuidados a tempo, poderão trazer sequelas e muitos comprometimentos.

Existem pessoas, que passaram por situações limítrofes que desequilibraram seu nível de afeto, violências sofridas na infância, adolescência ou mesmo na vida adulta, perdas significativas de ente queridos, doença grave, separações e outras, podem trazer modificações no afeto já estabelecido.

O afeto, pode ser observado em relações de todos os níveis, tanto nas humanas, quanto com animais de estimação, onde uma simples troca de olhar pode ter um significado afetivo extremamente importante.

A solidão, também é um espaço de um afeto não preenchido, quem sente a carência de afeto independente de estarem sós, em família ou em grupo, sempre estarão com um sentimento de ausência de algo sem entenderem o que.


Outras pessoas que vivem sós podem ficar plenamente bem e equilibradas se tiverem seu nível afetivo estável, pois estarão bem consigo mesmas.

Pessoas adoecidas, muitas vezes se restabelecem ou sofrem melhoras consideráveis, ao ter apoio familiar, clínico ou de alguém que esteja a sua volta.

Em contrapartida, idosos ou adoecidos, podem ter seu estado geral agravado e até vir a óbito, quando são colocadas em asilos, casa de repouso, ou longa internação hospitalar sem assistência e presença afetiva dos familiares.

A ausência do afeto, muitas vezes é incompreendida e substituída por vícios e compulsões, que agravam ainda mais todo um histórico emocional. O restabelecimento do equilíbrio, poderá se dar com a ajuda profissional, que irá resgatar gradativamente a compreensão de cada sentimento que a falta de afeto produz.

O desenvolvimento do afeto, se dá a partir de sentimentos de se sentir entendido, acolhido, protegido, independente da faixa etária ou de uma circunstância qualquer, o afeto fortalece e dá estrutura para vencer obstáculos de qualquer natureza.


Um abraço!

Dúvidas e/ou sugestões fico à disposição.
Claudete J. Silva Colunista de Saúde e Comportamento
Psicóloga Especialista em Clínica e Psicossomática
Tels: (11) 5583 3374 | WhatsApp: (11) 99626-4832



Compartilhar





Portal Vila Mariana ® SP