Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 





Compartilhar

FINGER FOOD


Publicado em 24/08/2015




Petiscos, canapés, tira-gostos, salgadinhos... todas essas iguarias que os brasileiros tão bem conhecem agora podem ser classificadas como alta gastronomia?

Não, mas todas essas iguarias têm em comum o principal conceito de um estilo gastronômico cada vez mais usado em festas elegantes ou em eventos informais: o Finger Food.

Finger Food, como a tradução literal do nome sugere é a “comida de pegar com os dedos”, ou seja, é a porção de alimento que dispensa talheres ao servir e que pode ser ingerida de uma só vez ou quase.

Mas nada impede que você, leitor ou leitora desta coluna, saia à cata de suas receitas de quitutes para transformá-las em finger foods.




Para isso, tem de incorporar algumas regras desse estilo:

as porções tem de ser pequenas, para degustar em um ou no máximo dois bocados;
têm que dispensar a necessidade de pratos e talheres;
e têm de apresentar texturas, sabores e cores cuidadosamente harmonizadas.


Pronto; aí está seu finger food.

Simplifiquei demais? Talvez. Porque o mais importante nesse estilo de culinária é o visual, o requinte na apresentação e a harmonização de texturas. São os elementos que encantam os grandes chefs, porque permitem que eles acrescentem a seus talentos muita criatividade, tornando o finger food uma vertente da alta gastronomia.

No entanto, se você não é um grande chef mas gosta de cozinhar e quer receber convidados de forma moderna, comece a planejar sua recepção preparando palitinhos, mini-travessas e colherzinhas-consomê (aquelas chinesas, de base achatada) para expor seus finger foods. E disponha esses recipientes de forma atrativa, elegante, com as decorações que sua criatividade permitir.

Sirva os molhos à parte. Podem ser uma mistura simples de azeite, limão e sal, mas se forem mais cremosos e consistentes evitarão respingos na mesa ou, pior, na roupa de seus convidados.

Os vegetais em miniatura dão um charme especial ao estilo finger food. Bastõezinhos de salsão, erva-doce e pepino também são perfeitos para os convidados mergulharem no molho e degustarem de uma só vez.

No verão, você ainda pode oferecer, em estilo finger food, composições refrescantes à base de queijos, como:

metades de figo fresco recheados com gorgonzola,
espetinhos com um pedaço de gorgonzola e uma uva itália;
espetinhos com um pedaço de mussarela de búfala mais presunto parma ou copa;
tomates cereja recheados com cream cheese.



 
Quanto às preparações, a variedade é imensa. Você pode fazer praticamente de tudo, salgados e doces, desde que possa ser cortado e moldado em pedaços “de comer com as mãos”.

Cheesecakes, camarões grelhados com bacon, rolinhos de abobrinha grelhada com peito de peru, wraps de recheios diversos, cupcakes, brownies e quantas receitas mais você tiver ou quiser experimentar.

Uma recepção no estilo finger food pode ser ser organizada por temas, com petiscos variados de um mesmo tipo de culinária (árabe, japonesa, baiana), ou no formatos de ilhas, com partes de todas as preparações dispostas de forma que encha os olhos, estimule a degustação e permita a livre circulação dos convidados pelo recinto.


Por precaução, procure informar-se sobre possíveis restrições alimentares de seus convidados e utilize ingredientes adequados, caso haja alguma.

E, por medida de higiene, componha cada conjunto de finger foods com uma boa quantidade de guardanapos e, mais discretamente, com potinhos de água com limão, hortelã ou pétalas de rosas, que sejam facilmente identificáveis como próprios para lavar os dedos.

Ou, então, componha cada conjunto com um pequeno frasco de álcool em gel.

O estilo finger food, além de permitir a elaboração de um cardápio com várias opções, ainda tem a vantagem de evitar exageros na quantidade e, consequentemente, poupar desperdícios de alimentos.

Calcule a quantidade em torno de 12 finger foods por pessoa para as duas primeiras horas do evento. Depois, para cada hora além desse prazo, considere mais 3 a 4 unidades para cada uma. Após 3 ou 4 horas, seus convidados por certo já estarão bastante satisfeitos.

Bastante satisfeitos não só com a comida, como também com a possibilidade de interação social que essa forma de receber proporciona. Afinal, no estilo finger food, ninguém está preso a uma mesa, nem de mãos ocupadas com talheres.

O estilo finger food é, ainda, também, uma boa alternativa econômica. A comida servida em pequenas porções pode reduzir bastante suas despesas. E você não precisará se preocupar com os talheres, nem antes nem depois do evento.

É o melhor de três mundos: receber bem, no estilo em moda no século XXI, sem grandes despesas e sem um monte de talheres para lavar!


 

VERDADE OU LENDA?


Dizem que a expressão “finger food” ficou conhecida quando a atriz inglesa Joan Collins (hoje com mais de 60 anos de carreira, famosa por atuar na série de tevê Dinastia) passou a pedir aperitivos pequenos, que pudesse comer com a ponta dos dedos para não borrar seu batom.

1. Você já conhecia essa história?

2. Tem outros detalhes para contar?

3. Acha que isso realmente aconteceu? Por quê?

4. Você conhece outra história sobre o início do estilo finger food? Qual é?



Rosangela Cappai
Colunista de Gastronomia
Com redação de Marília Muraro


Compartilhar




Portal Vila Mariana ® SP