Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




A BERINJELA

OU BERINGELA


É um vocábulo de dupla grafia: no português brasileiro o correto é usar berinjela (com jota). Já em Portugal usa-se beringela (com ge).

O nome científico da planta é Solanum melongenium e seu fruto chamamos de berinjela.


FRUTO, FRUTA OU LEGUME?


Um cientista irá responder que é fruto, porque é a estrutura desenvolvida a partir do ovário de uma flor fecundada. E que os legumes como feijão, ervilha, amendoim e lentilha também são um tipo de fruto, que têm como característica o fato de serem duros, secos e terem as sementes protegidas por uma vagem.

Nas feiras e quitandas, porém, a rigidez da classificação científica dá lugar a um critério bem mais simples: os frutos doces são chamados de frutas e o resto vira legume. "Não se trata de uma definição técnica, mas de uma distinção popular que se consagrou pelo uso", afirma o biólogo Marcos Arduin, da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar).

Dessa forma, frutos adocicados, como o abacate, o caqui, a uva e a banana, recebem o nome de frutas. Outros mais salgados ou azedos - como o tomate, o chuchu e a berinjela - são considerados legumes. "Esse estilo de classificação ampliou a categoria dos legumes. Com ele, há espaço para incluir raízes (como a cenoura e o rabanete), ramos (como brócolis) e grãos (como o arroz e o girassol)", diz Marcos.
Caso curioso é o do morango, mas esse é uma outra história, para outro capítulo desta coluna.


NUTRIENTES DA BERINJELA


Nos últimos anos, o consumo de berinjela aumentou devido às informações veiculadas em diversas mídias sobre supostos benefícios que essa hortaliça ofereceria as pessoas.

A ideia mais difundida tem sido a de que o consumo regular de berinjela (ou derivados à base da hortaliça) ajudaria a diminuir o colesterol. Apesar de muitos acreditarem nessa informação, até o presente momento não existem estudos científicos realizados com humanos que comprovem, de maneira satisfatória, esse dado.

No entanto, se levarmos em consideração a composição nutricional do fruto da berinjela, este pode ser considerado uma fonte de minerais e vitaminas.

As análises laboratoriais mostram que a cada 100g de berinjela crua encontram-se, em quantidades consideráveis, os seguintes minerais: cobre, magnésio, zinco, potássio, cálcio, ferro e fósforo.

E que as principais vitaminas encontradas são: vitamina A (retinol), vitamina B1 (tiamina), vitamina B2 (riboflavina) e vitamina C (ácido ascórbico).

Além disso, a berinjela destaca-se por apresentar uma grande quantidade de água, essencial para manter o corpo hidratado e favorecer as reações químicas nas células corporais. Também apresenta uma significativa porcentagem de fibras, que auxilia no bom funcionamento do intestino, além de ser considerada um alimento que fornece poucas calorias, auxiliando no controle do peso.

Resumindo: a berinjela é uma santa: tem poucas calorias e muitos nutrientes.


ESCOLHENDO PARA COMPRAR

Cada alimento tem a sua safra. (clique aqui para ver o calendário de safras de alimentos) Frutas, verduras e legumes podem ser encontrados em quase todos os meses do ano mas na época certa eles são mais baratos e de melhor qualidade.
As colheitas da berinjela ocorrem a partir de janeiro, mas os meses de maio e junho são os de safra mais natural.

Você pode encontrar berinjelas de duas formas: alongada ou arredondada.

Existem mais de 30 variedades de berinjela, mas as mais comuns apresentam casca arroxeada, uma polpa branca e carnuda, dentro da qual se encontram algumas sementes suaves, que não precisam ser eliminadas no preparo.

• Em geral, as de boa qualidade são as mais tenras, de casca lisa e brilhante. As opacas e amolecidas já estão velhas e perderam um pouco suas propriedades nutricionais.
• A cor, que varia segundo o tipo, deve ser sempre uniforme, sem manchas ou rugas.
• Não é aconselhável comprar aquelas que apresentam a casca enrugada, com manchas ou danos sofridos por geadas, granizo, queimaduras de sol, ou as que apresentarem lesões ou machucados sofridos durante a colheita, manipulação ou transporte.
• Prefira comprar berinjelas de março a maio, quando é seu período de safra, em que o clima proporciona a elas um crescimento mais natural, que dispensa o uso excessivo de agrotóxicos.
• Caso escolha comprar fora da safra natural, observe na casca se há a presença de mofos, parasitas ou lesões provocadas pelos mesmos.
• Para saber se a berinjela está madura: faça uma ligeira pressão com os dedos sobre a casca. Se seus dedos deixarem marca, está madura; se após a pressão não ficam marcas, ainda não alcançou a maturidade.
• Compre uma quantia que possa ser consumida em no máximo 4 dias, isso se for armazenada inteira e com casca na gaveta das verduras da geladeira.


O PREPARO


• Para preservar seus nutrientes, a berinjela deve ser preparada com casca, em pedaços grandes.
• Se for cozida em água, o volume da água de cozimento deve ser o menor possível.
• Evite cozinhar a beringela por tempo prolongado em altas temperaturas; assim reduzirá as perdas das vitaminas hidrossolúveis.
• Para retirar o gosto amargo que caracteriza a beringela, corte-a ao meio, esfregue com sal e seque. Ou deixe-a aberta coberta com água e sal, limão ou vinagre, durante, pelos menos, 15 minutos. Escorra em seguida e seque com papel absorvente.


USO CULINÁRIO


É grande a versatilidade da berinjela na culinária: como aperitivo, em saladas, em pratos quentes com recheio, como cuscuz, suflê, torta ou em forma de lazanha.

São, portanto, muitas e variadas as receitas de pratos à base de berinjela.

Destacamos aqui uma maneira de preparar beringela para um lanchinho.

É fácil e rápido: você vai precisar de uma beringela média, um tomate, um pouco de muzzarela ou outro queijo que tiver na geladeira, sal e orégano.

• Corte a berinjela com a casca, em fatias finas, polvilhe-a com sal e reserve.
• Corte também um tomate de tamanho médio e reserve.
• Coloque 2 fios de azeite numa frigideira anti-aderente, disponha as fatias de berinjela de modo a forrar todo o fundo. Por cima, distribua as fatias de tomate.
• Tampe a frigideira e leve ao fogo brando por 6 minutos.
• Sem desligar o fogo, distribua algumas fatias de queijo e polvilhe um pouco de orégano.
• Tampe e deixe em fogo brando por mais 2 minutos.
• Sirva-se em seguida e bom apetite!



Rosangela Cappai
Colunista de Gastronomia
Com redação de Marília Muraro


Compartilhar





Portal Vila Mariana ® SP