Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




Compartilhar


Publicado em 01/11/2017  (Editado em 04/11/2019)


MUSEU AFRO BRASIL

O museu Afro Brasil é um espaço cultural público criado em 2014 a partir das obras do acervo pessoal do museólogo Emanoel Araújo. Atualmente o espaço conta com mais de cinco mil peças entre fotografias, documentos, pinturas, gravuras e esculturas. Com peças do século XVIII em diante, o museu nos conta um pouco sobre a cultura dos povos do continente africano, abordando temas como sua religião, costumes e sofrimento causados pelo período de escravidão.

O museu tem como objetivo valorizar e preservar a cultura nacional além de resgatar a importância dos povos africanos para a cultura brasileira. Para isso, o espaço mantém parte do acervo em exposição fixa, além das exposições temporárias, das ações educativas e da biblioteca Carolina Maria de Jesus e do Teatro Ruth de Souza. 

O Museu Afro Brasil possui muito material para os visitantes que desejam conhecer um pouco mais sobre a cultura em geral do nosso país e para profissionais e estudantes que desejam se aprofundar nos temas da cultura africana e afro-brasileira. Além das exposições e ações educativas o espaço ainda conta com a biblioteca Carolina Maria de Jesus, um local com mais de 10.000 obras literárias entre pesquisas, livros e conteúdo multimídia focado no período de escravidão do Brasil e países do continente americano. 


15 Anos do Museu Afro Brasil

Em outubro de 2019, o Museu Afro Brasil completou 15 anos, mas as celebrações tiveram início no dia 06 abril, com a abertura da exposição  “Museu Afro Brasil, nos seus 15 anos, celebra São Paulo: uma iconografia urbana”, uma exposição que, com cerca de 500 elementos históricos, entre fotografias, material jornalistico e peças de época, contam a história da cidade de São Paulo, que de um povoado, se tornou uma das maiores cidades do mundo.

A exposição retrata o desenvolvimento da industria na cidade, características do estilo de vida dos paulistanos, sua relação com o carnaval, entre diversos outros pontos importantes para a construção física e cultural da cidade.

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA


O dia 20 de novembro foi definido oficialmente como dia da consciência negra através da lei número 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Porém desde de a década de 70 já carregava essa representação por iniciativa de um grupo de quilombolas, do Rio Grande do Sul. A data foi escolhida em memória ao dia 20 de novembro de 1695 quando Zumbi dos Palmares foi morto em batalha pela liberdade dos povos quilombolas. Zumbi é uma figura nacionalmente conhecida por conta da luta pela abolição da escravatura no Brasil e liberdade cultural dos povos africanos.



NOVEMBRO / 2019

Em todo início de visita mediada | Textos da Negritude - Programação Temática Consciência Negra

Durante o mês de novembro as visitas mediadas pelos educadores do Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil apresentarão trechos das obras de escritores e escritoras africanos e/ou afro-brasileiros, com o intuito de relacioná-los as obras expostas na exposição de longa duração do Museu, bem como disseminar os conhecimentos sobre grandiosas obras e escritoras(es) 

Visita Temática "Consciência Negra: de Palmares a Carolina Maria de Jesus"
Dia 09 de Novembro (sábado) às 14h

“De Palmares a Carolina Maria de Jesus” Está visita partirá da exposição de longa duração abordando momentos históricos nos quais serão destacados personalidades e eventos que marcam as lutas da população negra no Brasil antes e após a abolição da escravatura. 

Duração: 1h
Atividade gratuita
Público-alvo: livre. 


Abayomi- Oficina para crianças e famílias
Dia 30 de Novembro (sábado), às 15h

Durante a oficina os participantes serão convidados a construir bonecas Abayomis e conhecer sua história. No decorrer da vivência serão propostas reflexões sobre a identidade afro-brasileira, racismo e preconceito e herança cultural a partir da experiência estética criativa a lúdica da construção de bonecas.

Duração: 1h
Atividade gratuita
Público-alvo: livre. 

Aos Pés do Baobá
Dia 30 de Novembro (sábado), às 11h30

Durante este evento, os visitantes terão oportunidade de conhecer histórias africanas ou afro-brasileiras e, em seguida, participar de um bate-papo conduzido por integrantes do Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil.

Duração: 1h
Atividade gratuita
Público- Alvo: Livre

Visitas para o público espontâneo
Dias 03,10, 17 e 24 de Novembro (domingos), às 14h

As visitas aos finais de semana são realizadas com grupos de no mínimo 5 e, no máximo, 20 pessoas de todas as idades. Para participar, é necessário chegar com 15 minutos de antecedência ao horário programado e procurar o setor de acolhimento.
Duração: 1h30


OBS: As visitas aos finais de semana são realizadas com grupos de no mínimo 5 e, no máximo, 20 pessoas de todas as idades. Para participar, é necessário chegar com 15 minutos de antecedência ao horário programado e procurar o setor de acolhimento. Duração: 1h30

Aos domingos, o Museu Afro Brasil é pago, valores dos ingressos e política de gratuidade estão disponíveis no endereço www.museuafrobrasil.org.br





Besouro 

O cinema nacional também abordou temas como a escravidão e as influencias da cultura africana, no caso do longa Besouro, o foco é na capoeira.

Sinopse: Besouro era o sobrenome do reconhecido capoeirista Manuel Henrique Pereira. O filme conta a história deste órfão que se transformou num dos grandes mestres da capoeira, disciplina criada por escravos africanos que eram proibidos de utilizar armas.

Lançamento: outubro de 2009

Classificação: 14 anos









Rafael Caetano
Portal Vila Mariana

Fonte: Museu Afro Brasil














Portal Vila Mariana ® SP