Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




 
Compartilhar

Publicado em 23/07/2015

COMO AUMENTAR A IMUNIDADE DAS CRIANÇAS NO INVERNO

Com a chegada das temperaturas mais baixas, no outono e, principalmente no inverno, as bactérias e vírus se proliferam rapidamente, o que pode comprometer a saúde de crianças e adultos. Gripes, alergias respiratórias, pneumonias, infecções de ouvido, resfriados, sinusites e diarreias são algumas das doenças mais prevalentes no período mais frio e, geralmente, associado a níveis mais baixos de umidade do ar. A imunização das crianças, nos meses que antecedem o inverno, principalmente, é de extrema importância. Por isso, as campanhas de vacinação, habitualmente, têm início no mês de maio, como determina o Ministério da Saúde, com base nos grupos de risco.
 
Mas a atenção deve começar de casa. Para o pediatra Sylvio Renan Monteiro de Barros, da clínica MBA Pediatria, os pais devem começar com pequenas mudanças, como insistir em uma alimentação mais saudável e maior ingestão de água. “Nos dias frios é importante deixar os ambientes limpos e arejados, mantendo as janelas um pouco abertas para que o ar circule e os vírus não se proliferem. A alimentação correta também protege, por fortalecer o sistema imunológico”, lembra o pediatra.

Também de acordo com o Ministério da Saúde, outro aspecto importante é com a higiene das crianças, fundamental para a prevenção de algumas doenças, como as respiratórias. A higienização começa pelas mãos, que deve ser feita com água e sabão ou álcool gel, especialmente no ambiente escolar, após usar o ônibus da escola ou o transporte público e quando a meninada chega de um local público. Brinquedos e objetos pessoais também devem ser lavados (com água e sabão ou álcool gel). “É preciso educá-las ainda para que lavem as mãos após tossir ou espirrar, antes e depois de tocar os olhos, a boca e o nariz, depois de ir ao banheiro e sempre antes de qualquer refeição”, explica Dr. Sylvio, especialista em pediatria pela Unifesp, Sociedade Brasileira de Pediatria e General Pediatric Service da University of California (Ucla).

 
Vaporizadores

Quanto ao uso de vaporizadores no quarto das crianças, o pediatra informa que não há problema e que o aparelho poderá ajudar os pequenos a respirar melhor, mas recomenda que não se pode esquecer da higiene nasal, diária, com o uso de soro fisiológico, que contribui para a prevenção de doenças e infecções.
 
O pediatra alerta ainda sobre os cuidados com o uso de aquecedores. “Devem ser utilizados aqueles que não piorem a qualidade do ar. Os aquecedores a óleo são os melhores, por disporem de radiadores pelos quais o ar circula e que aquecem bem todo o ambiente sem ressecá-lo”, relata o dr. Sylvio Renan.

Segundo a CGE – Centro de Gerenciamento de Emergências -, a tendência é que até o final do mês de junho o ar continue seco e sem previsões de chuvas, principalmente no Sul e Sudeste brasileiro, o que contribui muito para a concentração dos poluentes nas grandes capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, e responsáveis pela proliferação de doenças e infecções próprias da estação mais fria do ano, no hemisfério Sul. Este alerta é importante e serve para que os pais, cuidadores e professores fiquem atentos e mantenham a higienização das crianças, bem como dos ambientes que elas frequentam.


Dicas do Pediatra 
  • Mantenha sempre a vacinação em dia;
  • Mantenha a casa sempre limpa e arejada;
  • Evite levar as crianças à escola e creches quando estiverem resfriadas;
  • Evite sair de casa com bebê com menos de 4 meses;
  • Evite locais com grande aglomeração de pessoas;
  • Evite objetos e bichos de pelúcia que aglomerem pó ou ácaros;
  • Não leve, sem necessidade, bebês ou crianças ao pronto-socorro para evitar contrair doenças – consulte antes o pediatra;
  • Umidifique os lugares da casa em que a criança permanece por mais tempo. Isso pode ajudar a respiração e evitar possíveis irritações de pele.
  • Deixe o berço ou a cama longe de janelas ou portas, por onde geralmente passam correntes de ar;
  • Coloque um pijama mais quente, tipo de flanela, para manter a criança aquecida, mesmo se ela se descobrir à noite.



Fonte para entrevista:
 
Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros – CRM SP-24699
Autor do livro "Seu bebê em perguntas e respostas - Do nascimento aos 12 meses" |Formado pela Faculdade de Medicina do ABC | Especializações e títulos pela Unifesp/EPM, Sociedade Brasileira de Pediatria e General Pediatric Service da University of California - Los Angeles (Ucla) | Atuou por quase 30 anos no Pronto Socorro Infantil Sabará e foi diretor técnico do Hospital São Leopoldo, cargo que deixou para se dedicar ao seu consultório, a MBA Pediatria, e à literatura médica para leigos.
 
MBA Pediatria na web



Compartilhar



COMENTÁRIOS














dia 18 (Qua)
Meu amigo Enzo

Portal Vila Mariana ® SP