Mapeamos  toda
pra
você.

 
 
Cadastre seu e-mail para receber nossos informativos.
 
 




 

Compartilhar

Publicado em 12/08/2021


OS DIAS E AS TELAS DE MARCONDES DE CARMO

Por Silvio Tadeu

Cândido Portinari e Di Cavalcanti, nomes importantes da arte plástica nacional, retratavam o povo brasileiro em suas telas. 

Eles já não estavam mais por aqui, quando em 1.995, Marcondes De Carmo, deixou a cidade de Princesa Isabel na Paraíba, para vir morar em São Paulo, trazendo na mala, seus anseios de estudo e aprimoramento.  

Ney Matogrosso um dia disse que jamais se rotulava como um cantor, pois todas as formas de arte lhe interessavam. O mesmo mandamento parece que serviu a Marcondes. Seu ideal maior era tentar o palco, a arte cênica, o texto, a criação de um personagem que o inspirasse e emocionasse a plateia.  No teatro, deu passos largos, cursos, apresentações, dedicou-se a sua paixão maior, o cinema, atuou em curtas, médias e longas metragens, escreveu roteiros produziu, dirigiu atores e atrizes...

Continua exercendo a arte dramática, recentemente integrou o elenco de uma série da netflix e aguarda o lançamento de um longa que participou.

Mas como todo artista se apodera de uma alma múltipla, a poesia e a escultura o atraíram, e finalmente... as artes plásticas, as telas em branco, dispostas a abrigar cores, que seriam criadas por pincéis e tintas. 

Criado em um sítio, em uma cidade que tem na sua história a luta contra cangaceiros, afirma que a habilidade de sua professora primária em transformar um "X", em um corpo de uma pessoa, o impressionou, tanto quanto o desenho de um índio na lousa, feitos por um funcionário público que por acaso passava por ali um dia.

Autodidata, Marcondes, passou a exteriorizar em papel e lápis as imagens que sua alma concebia. 

Em seus quadros o cubismo e o expressionismo predominam, mas a necessidade de atingir um diverso público o faz passear em diversos estilos, encarando o desafio da sua inclinação para criar. 

A degustação pela mesma arte o fez contemplar Candido Portinari, Pablo Picasso, Di Cavalcanti, Van Gogh, Edvard Munch e atualmente Henri Matisse e seu estilo fauvista, uso de cores puras. 

Contemplamos emocionados palhaços e "clowns" em alguns temas, influência clara da arte cênica em sua vida. 
Sem dúvida os temas nacionais também predominam. 

Cores fortes nos remetem a alegria esfuziante do brasileiro, ao passo a densidade da savana africana nos remetem a um passado de escravidão. 

Marcondes afirma que o isolamento social, imposto pela pandemia do novo coronavírus, não foi o que catalisou a produção da sua nova safra de quadros, mas, sem dúvida o momento é propício a todos nós que desejamos fazer do momento imposto, uma grande oportunidade para criar, ou para contemplar. 

Se for para contemplar o momento também pode ser propício. 

No dia 19 de agosto, Marcondes estará lançando sua loja-galeria virtual, simultaneamente, dando início às suas redes sociais dedicadas as suas telas e criações. 

Os visitantes poderão adquirir telas de sua assinatura com preços bem acessíveis e concorrer a um sorteio de uma delas. 

O portal trará também a agenda do artista, em exposições virtuais e presenciais, ou seja, em tempos de contemplação da imagem, dado o furor da comunicação digital, a arte plástica ganha força e corpo, para aliviar a nossa retina de imagens e notícias menos saudáveis!  

Salve 12 de Agosto Dia de Todas as Artes! 

Salve Portinari! 
Salve Di Cavalcanti! 
Salve Marcondes De Carmo!!!!! 

Serviço:  

Loja e Galeria Virtual:  www.marcondesdecarmo.com.br 
Lançamento:  19/08/2021 
Gênero: Artes Plásticas 
Influências: Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Expressionismo, Cubismo 
Temas:  Identidade Nacional, Artes Cênicas, Emoções 



Silvio Tadeu 
MTB : 79.298 - SP 
(11) 4106-2507 / 9.8678-5420 




Portal Vila Mariana ® SP